Meus 30 e poucos


Teve uma época em que eu entrava no facebook e tava todo mundo casando. 
E era bem na época em que eu tava me separando e encontrando as meias dele pela casa que provavelmente ele esqueceu de propósito. 
O perfume dele tinha vazado na minha mochila e por ironia, parecia que ele ainda estava lá quando na verdade não estava. 
O pessoal na internet brindando a felicidade e eu de porre de vinho no chão ligando pra ele aos berros perguntando porquê. Então veio aquele sentimento desgranhento de luto, de vazio, de solidão, mas o pior de tudo era ter que encarar a trágica realidade de que...não, ele não era aquilo que eu achava que ele era. 
E quando a gente descobre verdades sobre as pessoas, seu instinto te ilude para que você não surte. Aí você começa a pensar "Não, mas não é possível que ele seja assim! Ele gostava de crianças!" (ou pelo menos fingia).

 Mas sabe aquele negócio: aceita que dói menos? Pois é, tive que me conformar.

 Minhas amigas me diziam: "Thaís, você precisa aprender a gostar da sua companhia! Você precisa ter paz interior!" Cara, onde compra? Porque tá foda! 
Eu posso ter mil tatuagens, 5 gatos e meia dúzia trufas no armário, mas paz interior é algo que não tenho. 

Desde pequena, no meu coração, tem umas 32 dançarinas, umas 90 atrizes e 200 cantoras! 
Pensa em tudo isso junto aqui dentro organizando um espetáculo todo dia e batendo palmas, berrando e jogando confete, querendo me rasgar de dentro pra fora porque querem conhecer o mundo!
 Definitivamente, paz em mim não rola! Pra mim, paz interior era tipo um pretexto pra venderem livro de auto ajuda ou coisa de gente apática. Aí o que aconteceu? Comecei a sair com algumas pessoas pra preencher aquele vazio miserável da pós separação. Conheci pessoas superlegais e alguns idiotas. Curiosamente me interessei levemente por alguns idiotas. Devo ter uma queda por gente idiota (minha mãe que o diga).
 Por não saber o que queria, magoei umas pessoas e acabei me magoando também. Aí veio a nóia do "meu deus, tenho quase 30 e ainda não casei e nem tive filhos" - coisa que sempre quis. Simultaneamente a essa crise, os amigos do face que casaram estavam tendo bebês bochechudos e deliciosos. E eu querendo morrer. Virei a maior invejosa da face terrestre e tudo o que eu queria era entrar num site chinês e comprar a porra da paz interior. Meu nome era recalque e meu sobrenome era pra caralho. 
Então um dia aconteceu uma situação que não me cabe mencionar. E eu percebi que minha vida poderia se tornar mais uma vez aquele inferno do qual eu estava demorando tanto tempo pra me livrar! Senti como se meus bracinhos estivessem sendo cortados pra eu caber dentro de uma caixinha de convencionalidades que não combinam com meu cabelo e com minha vida! 
Então eu chorei uma madrugada inteira pra morrer de rir na manhã seguinte. Voltei pra casa e quando encontrei meus bichinhos me recebendo, senti uma brisa no rosto que dizia "boba! Você tem tudo o que precisa! Você é tudo o que precisa!" - e então, dias depois eu saí do banho e todo aquele elenco aqui dentro do peito tinha calado a boca. E eu senti uma paz do tamanho do mundo e me dei conta de que eu tinha conseguido! E percebi que ter paz é bom pra porraaaa!! E aí eu tinha visto estes dias a foto de uma amiga com um bebê e automaticamente pensei: "ainda bem que não tive nenhum". E senti como se eu tivesse SÓ 30 e não JÁ 30! 
Tenho todas as músicas pra dançar, todos os oceanos pra nadar e todas as tintas pra pintar todos os quadros! Ver séries sozinha virou um vício, percebi que dançar Anita de shortinho na cozinha é libertador! Falar com os gatos obtendo miados como resposta é uma terapia e o silêncio, meu deus, é uma dádiva! Me livrei de mim! E consegui uma mim da hora!
 Aprendi na prática (porque na teoria todos sabem) que quando você tem um vazio é problema seu, então trate você de preencher com si próprio. Quando você está em paz, tudo é libertador. Compartilhar é divino, mas preencher soa como dependência e dependência é doentio. Ninguém me preenche! Ninguém me completa. Eu sei me completar e se eu tiver afim eu compartilho, senão, não sou obrigada! Custou caro tomar vergonha na cara pra aprender tudo isso, mas abençôo cada centavo. 
Minha mente envelheceu anos, mas sinto que meu coração usa fraldas! Não tenho saco pra mais uma porrada de coisas...e é delicioso saber que não preciso ter. Foi um parto conseguir a tal da paz, e tá pra nascer quem vai tirar ela daqui. Essa mim nova ta me ensinando mil coisas! E eu to adorando aprender. 

E quer saber?

 Foda-se todo mundo, eu to mais feliz do que todos nessa merda kkkk!!! Cheers!

Por: Thais Santesi

0 comentários:

Postar um comentário

 
|